Suporte à tomada de decisão

Suporte à tomada de decisão
Suporte à tomada de decisão

Body


Para auxiliar o comitê de auditoria na estruturação de suas atividades e atingir o resultado esperado dentro de suas atribuições, foram divididas duas frentes de atuação contemplando as soluções oferecidas pela Protiviti:

 

 

Metodologia

 

Com base na expertise dos profissionais da Protiviti especialistas nas áreas contábil, financeira, gestão de riscos, controles internos e governança; são realizadas análises e avaliações dentro do universo de atividades do comitê de auditoria a fim de suportar à tomada de decisão.

 

Atividades relacionadas à tomada de decisão: 

 

  • Avaliar a consistência e a precisão das informações apresentadas nas demonstrações financeiras 

  • Acompanhar indicadores-chave de risco 

  • Acompanhar as investigações de atos fraudulentos ou de não conformidade

 

 

Como podemos te ajudar

 

A Protiviti tem mais de 20 anos de experiência em conduzir dezenas de projetos relacionados à auditoria interna, em todos os segmentos de atividade e porte (pequenas, médias e grandes) de empresas. Desde avaliação de políticas e procedimentos, mapeamentos de processos, gestão dos riscos, avaliação dos controles internos e efetivamente execução de trabalhos de auditoria; possibilitando atuação em todas as etapas do processo e tornando mais assertivo o diagnóstico da melhor solução para nossos clientes.

 

 

Estrutura e eficácia das atividades relacionadas com a auditoria interna 


 

Avaliação de risco


 

Avaliação de recursos 


 

Educação continuada 


 

Diagnóstico das principais vulnerabilidades relacionadas a área de auditoria interna: 
Implantação de ações para fortalecer a atividade de gestão de riscos na companhia:
Avaliar se o comitê possui autonomia operacional e dotação orçamentária para conduzir suas atividades, bem como garantir que seus membros atendam as especificações da legislação vigente:
Disponibilizar ferramentas para que os membros do comitê estejam em permanente atualização quanto as normas, instruções, tecnologias e legislação garantindo o preparo adequado para função que atua em um ambiente complexo e em constante evolução:
  • Avaliação do plano de trabalho de auditoria frente as principais áreas de risco;
  • Análise do Plano de Contingência;
  • Avaliação dos membros do comitê quanto as especificações da legislação vigente e a independência necessária;
  • Planejamento anual de atualização para os membros (diversos assuntos como ferramentas de controle, gestão de riscos, contabilidade);
  • Assegurar quanto aos recursos e condições de trabalho da área de auditoria interna (sistemas, recursos humanos, tecnologia, treinamento e capacitação da equipe);
  • Avaliação de mudanças no ambiente de negócio da organização;
  • Averiguar quanto ao plano de educação continuada dos seus membros, bem como o plano de sucessão dos mesmos;
  • Elaboração de cursos e seminários sobre os temas de enfoque prioritário referente à auditoria;
  • Certificar que as recomendações apresentadas estão sendo implementadas bem como averiguar a efetividade destas recomendações através de testes;
  • Verificar possíveis riscos de incentivos inadequados referente ao sistema de remuneração adotado pela administração;
  • Averiguar quanto à adequação do orçamento proposto para o comitê, se existem condições para o desempenho adequado para função, incluindo a possibilidade de contar com consultoria externa quando necessário.
  • Averiguar se os profissionais da área contábil estão em conformidade com os requisitos de educação continuada (conforme normatização do conselho federal de contabilidade);
  • Revisar e auxiliar a estruturação os relatórios emitidos pela área de auditoria interna;
  • Averiguar providências adotadas para resolver eventuais apontamentos recebidos de órgãos reguladores e autoridades;
 
  • Treinamento específico para novos membros do comitê (visão geral da organização, modelo de negócios, riscos e oportunidades, papel e responsabilidade do comitê, demonstrações financeiras dos últimos anos, código de conduta, plano da auditoria interna, etc...).
 
  • Avaliar assuntos legais e de regulamentação que possam ter efeito significativo sobre as demonstrações financeiras da companhia;
 
 
 
  • Verificar se a diretoria tem o mapeamento do conjunto dos riscos que afetam a organização (ambientais, negócios, legais, tecnológicos, sanitários, trabalhistas) bem como a existência de planos para tratamento dos riscos relevantes.